O dilúvio de informações só começou

Evolução do volume de palavras por mídia de 1900-2010 nos EUA
Evolução do volume de palavras por mídia de 1900-2010 nos EUA
Evolução do volume de palavras por mídia de 1900-2010 nos EUA. Uau.

A The Economist acaba de publicar a matéria Wordy Goods – Americans are exchanging ever more words no seu blog sobre estatísticas e gráficos.

Como iremos consumir palavras nas próximas décadas? A  McKinsey Global Institute trouxe respostas analisando a comunicação nos Estados Unidos desde 1900. Comparou tudo incluindo a palavra falada e cartas escritas enviadas pelo correio com redes sociais e emails.

Se você sente que passa muito mais tempo recebendo informações por dia, você está certo.

A pesquisa encontrou que a troca via papel não foi esmagada pela internet como se acha normalmente. O rádio foi. A televisão também. Segundo a matéria, a consultoria quer mostrar que ainda há crescimento para a comunicação via redes sociais, o que parece óbvio. As redes sociais são hoje a malha da internet, e é por lá que navegamos (o que sugere um problema pra o Google Search?).

A televisão deve se tornar mais e mais social no futuro e com a digitalização e os aparelhos como AppleTv e outros, isso vai acontecer nos próximos anos, rapidamente.

Notem que nos últimos 5 anos houve uma aceleração ainda mais grave do volume de palavras trocadas. Talvez, e muito provável seja a razão de nos sentirmos esmagados pela quantidade de informação que recebemos diariamente.

Acredite em mim, estou mentindo

Trust Me I'm lying - Confessions of a media manipulator

Bom, começar o blog não é nada fácil. É o pânico da folha em branco…

A idéia de fazer um blog é inspirado no blog do Ryan Holiday que acaba de escrever um livro sobre manipulação da mídia.

Ryan escreveu Trust Me, I’m Lying – Confissões de um manipulador da mídia que eu comecei a ler ontem.

Acredite em mim, eu estou mentindo conta a história “verídica” de Ryan trabalhando nos subterrâneos da mídia – os blogs, para manipular a mídia e promover eventos, produtos e tudo que pagasse bem.

Manipulação da mídia é algo a se saber. Atualmente, ela define tudo que você lê, ouve e vê online. Tudo.

Ele é antes de tudo um hacker, mas um hacker diferente: um media hacker. Media hackers são incomuns e meu interesse está no topo pra sair um pouco do universo sensacionalista que a internet está se tornando. Eu sou apaixonado pelo meu dia a dia em tecnologia mas eu me sinto sufocado pelo dilúvio de informações plantadas para promover as novas startups ou as novas celebridades do meio. É difícil de discernir e também difícil manter um foco.

A sensação paradoxal é a de que sempre há uma nova nova notícia que você pode perder e ficar de fora. Não é preciso dizer que 99% das notícias podem ser ignoradas sem perigo algum.

Abaixo, você pode assistir ao vídeo de lançamento do livro de Ryan:

E, aqui, vai a entrevista de Ryan Holiday que é longa mas vale a pena: