Segundo o historiador Matthew Gaetano, Rafael pintou Platão(14) e Aristóteles(15), numa disputa e ali, você consegue entender o coração do renascimento. Nenhum dos dois viveu nessa época mas eram estudados nas universidades, cada qual representando posições antagônicas com relação à FÉ e a RAZÃO, embora Platão tenha sido professor de Aristóteles, que então foi tutor de Alexandre, o Grande.

Há uma linha imaginária divisória nessa pintura, que divide Platão e Aristóteles e cada hemisfério do quadro segue essa divisão. Nota-se, Platão descalço, sem nenhuma exibição material de riqueza, desprezando-a, no que se assemelha a doutrina cristã. Já Aristóteles, está calçado e com alguns adereços dourados. Na pintura, você pode ver Platão apontando para cima, numa defesa da sutil à FÉ argumentando sobre a suprema Verdade, representando os filósofos/teólogos cristãos e transcendentais, e Aristóteles, apontando em frente, espalmando a REALIDADE CONCRETA, na defesa de uma RAZÃO empírica, representando os filósofos de viés materialista, divergindo em questões como a imortalidade da alma humana.

Na Renascença, acadêmicos radicais aristotélicos enfatizaram os conflitos entre a algumas partes da filosofia aristotélica e a teologia cristã, de certa forma influenciados por Averroes (também no quadro, ver nº5) ou Abu al-Walid Muhammad ibn Ahmad ibn Muhammad ibn Rushd para os mais chegados, um filósofo muçulmano (vejam só!). Francisco Petrarca (1304), o filósofo que marcou a Renascença, se opôs aos filósofos aristotélicos e averróistas resgatando então alguns conceitos de Platão, o príncipe da Filosofia, para opor-se à Aristóteles.

Platão foi intensamente revisitado nesta época tendo suas obras completas traduzidas do grego para o latim em 1504, o que possibilitou o resgate de sua filosofia. Esse conflito entre filósofos teólogos platônicos e filósofos aristotélicos averroistas, no coração da Renascença, inspirou Rafael numa das obras de arte mais emblemáticas dessa época, a Escola de Atenas.

Para Chicão Petrarca, aliás tido como o pai do alpinismo por sua subida ao Monte Ventoux enquanto morava em Avignon, “É mais importante AMAR do que SABER.”, em outras palavras, a fé cristã supera a razão ou “Eu prefiro AMAR a SABER” ordenando a FÉ como suprema perante a RAZÃO. Esse grande filósofo da Renascença foi um defensor da Fé Cristã, diferentemente do que se acredita e argumenta que a grande cisão entre fé e razão vem a aparecer com força somente no século XIX e XX.

A Renascença, um resgate da antiguidade e do auge romano, é também um elogio às capacidades divinas nos humanos que, para os renascentistas, tinham uma natureza superior à dos anjos, já que ao fazer a escolha de uma vida de fé e virtudes, superava-os já que estes por sua natureza não haviam optado por ela.

Iniciava-se então o mundo moderno.

––

A Escola de Atenas (Scuola di Atene no original) é uma das mais famosas pinturas do renascentista italiano Rafael e representa a Academia de Atenas. Foi pintada entre 1509 e 1511 na Stanza della Segnatura sob encomenda do Vaticano. A pintura já foi descrita como “a obra-prima de Rafael e a personificação perfeita do espírito clássico da Renascença.”

A importância da obra também está em demonstrar como a filosofia e a vida intelectual da Grécia Antiga foram vistas ao final do Renascimento.

1: Zenão de Cítio ou Zenão de Eleia 
2: Epicuro 
3: desconhecido (acredita-se ser o próprio Rafael) 
4: Anicius Manlius Severinus Boethius ou Anaximandro ou Empédocles 
5: Averroes 
6: Pitágoras 
7: Alcibíades ou Alexandre, o Grande 
8: Antístenes ou Xenofonte 
9: Rafael, Hipátia ou Monalisa, Fornarina como uma personificação do Amor ou ainda Francesco Maria della Rovere 
10: Ésquines ou Xenofonte 
11: Parménides 
12: Sócrates 
13: Heráclito ou Miguelângelo. 
14: Platão segurando o Timeu (Leonardo da Vinci). 
15: Aristóteles segurando Ética a Nicômaco 
16: Diógenes de Sínope 
17: Plotino 
18: Euclides ou Arquimedes acompanhado de estudantes (Bramante) 
19: Estrabão ou Zoroastro (Baldassare Castiglione ou Pietro Bembo). 
20: Ptolomeu

R: Apeles (Rafael). 
21: Protogenes (Il Sodoma ou Pietro Perugino).

Fonte: Wikipedia.

Publicado por André Bartholomeu Fernandes

Em 2004, André foi responsável por levar internet discada para mais de 4.400 cidades brasileiras. Estudou eletrônica e tecnologia na Unicamp, Harvard e MIT. Trabalha intensivamente em sua nova empresa: Hack além de atender mais de 150 clientes. André criou um blog sobre empreendedorismo, o Jornal do Empreendedor.