Viganò: ”Aqueles que resistem à NOM terão a ajuda e proteção de Deus”

Há um homem que neste momento aterroriza a hierarquia da igreja anticatólica de Bergoglio. Este homem tem sido objeto de ataques terríveis e malignos da grande mídia. Eles têm tentado difamá-lo e descrevê-lo como um criminoso ou como alguém que está colocando a sociedade em grande perigo. Este homem é o Arcebispo Viganò. Sua Excelência tornou-se uma estrela polar da esperança para os católicos e até para os não crentes que têm sede de justiça e bom senso neste mundo de pernas para o ar. Viganò tem falado calmamente, mas sua voz gentil tem aterrorizado as pessoas poderosas do mundo. Viganò expôs a Grande Restauração e o plano para destruir a humanidade. Ele denunciou claramente a infiltração da Maçonaria na sociedade e na Igreja.

Em outras palavras, Viganò é culpado de ter dito a verdade como um humilde pastor de Deus. Nesta entrevista que Sua Excelência nos concedeu, ele mais uma vez nos conta em que período histórico estamos vivendo. Ele também nos consola, lembrando-nos de que ser perseguidos por amar a Deus e ter fé é a maior honra que podemos receber. É provavelmente por isso que tantas pessoas olham para este homem neste período histórico. Ele é um dos poucos pastores que pode falar simplesmente ao coração dos homens comuns. Aqui você pode encontrar suas palavras dirigidas a qualquer um de nós. ”

Excelência, nos últimos dias tem sido vítima de duros ataques nos meios de comunicação italianos, e os ataques parecem aumentar de intensidade. Massimo Giannini, editor do La Stampa de Torino, chegou a chamá-lo de “canalha”. Outro proeminente jornalista italiano, Bruno Vespa, disse que Deus deveria “perdoá-lo” por suas declarações sobre as vacinas e a chamada pandemia. Você poderia explicar por que a grande mídia italiana parece cada vez mais considerá-lo uma espécie de “inimigo público”? Por que eles parecem ter tanto medo de você?

 Como já observei, é típico de qualquer regime totalitário procurar deslegitimar toda e qualquer forma de dissidência, a princípio ridicularizando o adversário, tornando-o objeto de escárnio para desacreditá-lo aos olhos da opinião pública. Então, após deslegitimar a pessoa como patológica, ou com necessidade de atendimento psiquiátrico, sugerir que o adversário é mentalmente instável que deveria ser internado em uma instituição psiquiátrica. Por fim, esse processo termina com a criminalização completa de todos os dissidentes. Dessa forma, o regime cria as premissas necessárias para separar todos os seus adversários da sociedade civil.

 Mentiras, insultos e agressões pessoais – como os mais recentes que recebi da revista italiana “Venerdì” ( do jornal “La Repubblica ”) – fazem parte desta charada, uma espécie de produção teatral em que os “altos sacerdotes ”De COVID rasgam suas vestes, lamentando todas as objeções às suas mentiras. Devemos lembrar que “La Stampa” e “La Repubblica” pertencem à família Elkann, uma família aparentada com os Rothschilds desde 1500. Na verdade, John Elkann escreveu o prefácio do livro de Klaus Schwab, The Fourth Industrial Revolution, no qual o presidente do WEF (Fórum Econômico Mundial) descreve a “Grande Reinicialização” nos mínimos detalhes. Em sua adesão à narrativa oficial, os porta-vozes da elite também acabam empregando essa tática de desacreditar e caluniar os que se opõem a eles, prática típica dos grupos conspiratórios.

Certamente, diante do silêncio ensurdecedor dos bispos e da propaganda do Santa Marta ( Nota do Editor: a residência de Jorge Bergoglio ), fica claro que uma voz discordante que denuncia o golpe de Estado em curso pela élite globalista irrita e parece intolerável para aqueles que pedem uma aprovação irracional para suas declarações contraditórias.

Nesse contexto, a mídia italiana chegou ao ponto de enviar espiões para assistir às missas celebradas por aqueles padres, como pe. Giorgio Ghio, que denuncia os danos causados ​​pelas vacinas e o espírito anticristão generalizado que parece dominar cada vez mais a sociedade ocidental. Parece que o espírito da Igreja real e tradicional não só não está morto, mas até mesmo se reacendeu. Você acredita que o poder globalista está particularmente com medo dessa renovação da fé católica tradicional?

 Gostaria de salientar, em primeiro lugar, que a intromissão das autoridades civis nos assuntos da Igreja viola diretamente a Concordata entre a Santa Sé e a República Italiana. Além disso, a Conferência Episcopal da Itália (CEI) não tem autoridade para negociar com os protocolos e acordos governamentais, de modo que tais acordos, na medida em que sejam acordados por aqueles que não têm o direito de negociar ou ratificar tais acordos, não têm validade. de jeito nenhum. Posto isto, penso que todo sacerdote tem o direito, ou melhor, o dever de alertar os seus fiéis sobre o perigo real – nada meramente hipotético – que representa a inoculação deste medicamento experimental. Este é especialmente o caso quando toda a farsa psicopandêmica visa claramente levar ao estabelecimento de uma ditadura,

A submissão da Hierarquia Católica, das Conferências Episcopais, dos Bispos e dos Padres a esta narrativa oficial é tão descarada e servil que torna evidente aquela infiltração da “igreja profunda” que muitas vezes denunciei. Essa infiltração começou há pelo menos 70 anos e hoje se tornou bastante óbvia devido à sua arrogância e à perseguição de todas as vozes dissidentes em relação à suposta emergência de pandemia e os desvios doutrinais, morais e disciplinares ainda mais graves (da atual liderança da Igreja ) e as perturbadoras cumplicidades desta liderança com o “estado profundo”.

Esta traição flagrante dos pastores da Igreja desencadeou, como também ocorreu na área do governo civil, uma oposição espontânea da “base”, do povo, tanto leigos comuns, como padres comuns, e essa oposição preocupou significativamente , tanto a resposta à pandemia quanto a crise da hierarquia da Igreja. Por um lado, temos os promotores da “Grande Reinicialização” com sua ideologia anticatólica e anticristã, apoiados pela igreja bergogliana. Por outro lado, temos aqueles que estão contra a Nova Ordem Mundial e que veem seus valores morais e visão cumpridos no magistério católico perene e na liturgia católica tradicional. As duas cidades, a Cidade do Diabo e a Cidade de Deus:

 Um coronel russo que já serviu nos serviços secretos soviéticos, Vladimir Kvachov, chamou a pandemia de uma espécie de “operação terrorista” que foi expressamente concebida para impor uma redução da população global e inaugurar uma ditadura global. Em artigo publicado pela Fundação Rockefeller em 2010, cujo título é “Operação Lockstep”, a eclosão de uma pandemia é expressamente mencionada. Esta pandemia permite que os governos mundiais implementem medidas autoritárias e repressivas contra a liberdade pessoal que são essenciais para avançar em direção a um governo mundial. Essas medidas restritivas são basicamente as mesmas que vimos aplicadas durante o último ano e meio, como máscaras faciais e distanciamento social, que têmtrouxe psicose em massa e ódio social aparentemente sem precedentes nas sociedades ocidentais. Você acha que toda essa situação é uma crise engendrada pelas potências globalistas para arrastar a humanidade para um estado de medo constante e pavimentar o caminho para o Leviatã global?

Acho que sim, e digo isso desde o início da psicopandemia, quando em maio de 2020 expus os perigos e os absurdos dessa farsa grotesca. Estou bastante familiarizado com os cenários da Fundação Rockefeller, bem como com os retratados pelo “Great Reset” do Fórum Econômico Mundial (WEF), cujo presidente se encontrou com o ex-primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, em novembro de 2019 e o atual primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, há poucos dias. Da mesma forma, também estou ciente do plano da ONU chamado Agenda 2030.

Essa operação exigiu uma preparação meticulosa e precisou da participação de grande parte das instituições públicas e do setor privado, incluindo a cumplicidade do Judiciário, da aplicação da lei e da mídia. Estes esforços combinados são um verdadeiro golpe de estado e a pandemia é apenas um pretexto – a profasis – através da qual se introduz a aparente inevitabilidade da violação dos direitos fundamentais e a consequente instauração do regime totalitário da Nova Ordem. Nesta Nova Ordem a superstição pandêmica reina suprema, com seus mágicos, seus templos de vacinas, seus rituais irracionais e suas excomunhões de pecadores vitandi (“a serem evitados” ou “a serem evitados”) – aqueles que não concordam em abrir mão da razão antes mesmo de apostatar de sua Fé para abraçar esta loucura ideológica insana.

Na sociedade da “Grande Reinicialização” que Vossa Excelência tem denunciado em numerosas ocasiões, a ideologia “transumanista” desempenha um papel fundamental. A tecnologia moderna está avançando em um ritmo muito rápido e agora estamos falando abertamente sobre a possibilidade de controlar o comportamento humano por meio de implantes de microchips cerebrais. Quem defende este novo modelo de “humano / robô” é Klaus Schwab, personagem que conhecemos nas questões anteriores, o chefe do Fórum Econômico Mundial. Você acha que o propósito final do transumanismo é realmente este, privar o homem de seu livre arbítrio dado por Deus?

O transumanismo é um projeto infernal, no qual o Diabo zomba da criação de Deus pervertendo-a e corrompendo-a. A obediência ao “jugo fácil” da Lei de Deus é substituída pela escravidão e submissão à tirania de Satanás, na qual não há tolerância para o bem e todos são forçados a cometer o mal, aceitar o mal e legitimar o mal. E apesar do fato de que somente Deus pode ler nossas consciências, Satanás tenta violar o santuário de nossa parte espiritual interior para controlá-lo e nos induzir a cometer o mal mesmo contra nossa própria vontade. Em seu livro recente, The Great Reset , Klaus Schwab escreveu o seguinte:

“Também estamos estudando novas formas de utilizar e implantar dispositivos internos que monitorem nossos níveis de atividade, os valores hematoquímicos e as formas como estes podem ser associados ao bem-estar, à saúde mental e à produtividade em casa e no trabalho. Também estamos aprendendo melhor o funcionamento do cérebro e testemunhando desenvolvimentos excepcionais na área de neurotecnologia ”.

É um delírio que só Lúcifer pode conceber, e está destinado ao fracasso completo por causa de sua matriz anticristã, seu desafio ao reinado divino de Jesus Cristo. É um delírio onde a criatura, rebelando-se contra as leis divinas, finge chegar ao lugar do Altíssimo e repete, com a mesma determinação vergonhosa, o “ Non serviam” (“Não servirei”) de Lúcifer.

Satanás é simia Dei (“um macaco de Deus”) : em tudo o que ele faz para nos manter longe de Deus e nos arrastar para o Inferno, podemos sempre ver sua tentativa zombeteira de imitar o Salvador, de usurpar Sua soberania, de perverter Sua ensinamentos e roubar almas Dele. O diabo quer ser adorado no lugar de Deus. Ele quer que o Anticristo governe o mundo e subjugue a humanidade à sua tirania, substituindo a Igreja de Cristo pela anti-Igreja de Satanás, que é a Religião da Humanidade, uma religião ecumênica e ecológica.

Em seus vídeos e artigos, você falou sobre a ameaça representada pela Nova Ordem Mundial (NWO). Vários estadistas e primeiros-ministros, como George H. Bush, Henry Kissinger, Nicolas Sarkozy e David Rockefeller – apenas para citar alguns – usaram essa expressão em suas declarações públicas. Esses políticos descrevem a Nova Ordem Mundial como uma espécie de “Éden” que todos devemos almejar. Durante a crise do COVID, temos ouvido frequentemente essas palavras. Você pode explicar a ideia que move a Nova Ordem Mundial e por que as vacinas desempenham um papel muito importante no cumprimento dessa meta?

 A Nova Ordem Mundial não é nem Nova nem Ordem: representa a ambição tola de Satanás de derrubar o plano providencial de Deus, cancelar a verdadeira Religião que leva à salvação eterna e, finalmente, substituir o “ ordo christianus”(“ A ordem cristã ”) com o caos infernal. Nesta desordem, a mentira substitui a Verdade, a injustiça e o abuso de poder substituem a justiça, o capricho ao invés da obediência à lei de Deus, a morte ao invés da vida, a doença ao invés da saúde, a legitimação do Mal e a condenação do Bem, a perseguição de gente boa e louvor de gente má, ignorância em lugar de cultura e sabedoria, feiúra e horror em vez de beleza, divisão e ódio em vez de harmonia e amor. Satanás não quer ser adorado adotando as qualidades de Deus, mas exigindo ser objeto de adoração por meio de tudo o que é mau, obsceno, falso, absurdo e monstruoso. Ele busca a subversão completa, uma subversão ontologicamente diabólica e anticrística: uma “Nova Ordem” obtida por meio de um golpe de estado global imposta sob o pretexto de uma emergência planejada.

A campanha de vacinação, sem qualquer validade científica, serve antes de mais como a aparente legitimação para a implementação de rastreamentos e controles globais, hoje sob o pretexto de limitar a disseminação do COVID (pretexto que é falso, porque, entre outros motivos, os vacinados ainda podem se tornar infectados e ser contagiosos). Mas amanhã, esta campanha visa expandir seu alcance, estendendo o “Passe Verde” para incluir informações usadas em um “sistema de crédito social” para enfrentar uma “emergência verde”, que também será falsa e capciosa. O “Passe Verde” está sendo concebido como algo como a Marca da Besta mencionada no Apocalipse de São João para permitir ou proibir as pessoas de comprar, vender, viajar, gastar, comer e viver.

Em segundo lugar, a inoculação de pessoas com um soro gênico experimental que provoca o enfraquecimento do nosso sistema imunológico natural representa um crime gravíssimo, pois transforma pessoas comuns saudáveis ​​em enfermos crônicos e, consequentemente, em clientes de empresas de saúde e de assistência privada. Esta situação aumenta enormemente os lucros da elite globalista e traz um empobrecimento geral da população. Mesmo este aspecto, aparentemente secundário, revela o caráter subversivo da “Grande Restauração”, pois a “Grande Restauração” não representa apenas um atentado à saúde de um indivíduo, mas também um atentado à segurança nacional dos Estados, pois suas Forças Armadas são prejudicadas pelos efeitos colaterais da vacina, enquanto os soldados não vacinados são proibidos de servir na ativa. Acho que este é um ponto insuficientemente considerado por quem está analisando a crise atual, e mostra a malícia de quem. Uma vez no poder, coopere para a destruição das nações a fim de subjugá-las à Nova Ordem.

Falando novamente sobre a Nova Ordem Mundial, Vossa Excelência disse em um de seus vídeos que o Vaticano II desempenhou um papel fundamental no início da década de 1960, ao preparar o caminho para esse plano. Nesse sentido, o Concílio pode ser considerado como o evento que construiu uma “nova Igreja liberal” separada da tradição católica. Esta “Igreja liberal” abraçou o espírito do mundo moderno, ao invés de tentar contê-lo. Essencialmente, a instituição que deveria ter sido o “ katechon ” , a força que impediu a manifestação do Anticristo, em vez disso se tornou o porta – voz e promotordo Anticristo. É possível dizer que as forças maçônicas que se infiltraram na Igreja planejaram essa transição? Você acha que a Igreja atual está vivendo a apostasia predita por Leão XIII em 1884, e predita por outras profecias relevantes como as de Fátima em 1917 e Akita em 1973?

Como um dos personagens principais do Vaticano II (1962-1965), o cardeal Leo Joseph Suenens disse, a revolução conciliar representou “o 1789 da Igreja Católica” [ Nota do editor: O ano de 1789 foi o início da Revolução Francesa que derrubou o toda a sociedade pré-Revolução Francesa.] Nesta visão, desde o Vaticano II, a Igreja abraçou os princípios dos revolucionários, a ideologia liberal, o comunismo, o coletivismo e, mais geralmente, “o espírito do mundo”; a teoria do gênero, e a dissolução do Cristianismo, não só na área doutrinária, mas também na área moral e cultural, ou seja, como elemento vital da Civilização Cristã. Essa traição foi realizada de maneiras não muito diferentes das que foram usadas pelas Lojas maçônicas contra as monarquias católicas, e foi realizada por meio de um plano de infiltração que se desdobrou em duas frentes: uma ideológica e outra prática.

Do lado ideológico, testemunhamos a corrupção da ortodoxia por meio de heresias e erros filosóficos dos quais ainda sofremos as nefastas consequências; do lado prático, testemunhamos a corrupção da moral das pessoas, submetendo os indivíduos às paixões para dominá-los, escravizando-os aos próprios vícios para chantageá-los, promovendo os mais corruptos aos cargos mais altos das instituições que, por meio de sua conduta ultrajante, foram deslegitimados e desacreditados. Que tipo de credibilidade a Igreja pode reivindicar em questões de sexualidade moral quando seus mais altos prelados são pervertidos corruptos? Que tipo de credibilidade a Igreja pode reivindicar, quando funcionários da Santa Sé estão envolvidos em escândalos financeiros e especulações de mercado obscuras?

Portanto, é necessário um retorno à Tradição, e aos valores que hoje foram removidos e esquecidos, como a honestidade, o senso do dever, a fidelidade, o amor à Pátria, a honra, a disciplina. Seria um retorno à ordo christianus na esfera civil, o que implicaria uma reforma radical dos Estados; o mesmo deve ser feito na esfera eclesial com o afastamento dos falsos pastores e a restauração de tudo o que foi destruído pela fúria ideológica do Vaticano II. Se quisermos acabar com a dura prova que a Providência está exigindo de nós, é fundamental que removamos a causa dos castigos que o Senhor está nos infligindo. E a causa interna é todo esse sistema anticrístico que foi concebido pelos princípios maçônicos e pela Revolução.

Devemos restaurar a autoridade como uma expressão do poder de Cristo, e devemos dar uma educação moral e espiritual para aqueles que nos governam. Certamente é uma tarefa difícil, mas devemos fazê-lo se realmente queremos transmitir aos nossos filhos os valores que os tornam bons cristãos e bons cidadãos, responsáveis ​​perante Deus e desejosos de obedecê-lo, de anunciá-lo rei e de dá-lo. honras públicas. Uma vez que O reconheçamos como Rei, Nosso Senhor não permitirá que Seus filhos morram na batalha e os recompensará com uma grande vitória. No entanto, enquanto não compreendermos o erro que está na base dos horrores atuais, não podemos esperar a intervenção de Deus.

 Recentemente, Bergoglio disse claramente que será necessário dar à luz a “Grande Reinicialização”, e também destacou que não haverá uma volta à normalidade. Bergoglio se tornou um apóstolo da religião universal desejada pelas lojas maçônicas, cujo objetivo final é remover completamente o Cristianismo. Faz sentido afirmar que Bergoglio é a conclusão natural do Vaticano II? Você acha que a apostasia da Igreja, que estava prevista em várias profecias e nas visões do Venerável Holzhauser, já atingiu seu auge e está perto de sua conclusão?

Bergoglio é um dos adeptos mais convictos da religião globalista: ele abraça todos os seus objetivos, promove seus planos, promove suas doutrinas e luta contra seus inimigos. Se ele não tivesse o papel que tem dentro da hierarquia eclesial, ele poderia ser considerado o profeta da Nova Ordem Mundial e o principal inimigo da Igreja de Cristo. O fato de ele ser universalmente considerado o chefe da Igreja nos mostra uma contradição evidente, um conflito de interesses extremamente grave, uma traição flagrante da autoridade que possui.

Os mesmos caminhos que lhe permitiram substituir o cessante Bento XVI revelam a intervenção de forças hostis à Igreja. As manipulações da chamada máfia de Saint Gallen são uma prova direta desta intervenção hostil, planejada de antemão também pelo “estado profundo”, como emerge dos emails de John Podesta, que falava de uma “primavera da Igreja” em que a Igreja abraça o espírito do mundo e abandone o anúncio do Evangelho.

Este “pontificado” é a aplicação coerente dos princípios do Vaticano II, como o próprio Bergoglio orgulhosamente afirmou. Tudo o que ele disse e fez desde 2013 está alinhado com os erros tecidos em várias passagens ambíguas dos textos conciliares, desde seus silêncios intransigentes às suas ambigüidades enganosas. Mas como tudo o que vem do diabo, este projeto não tem esperança de sucesso e serve apenas para nos permitir compreender uma verdade muito clara que ainda não conseguimos reconhecer: a única esperança de salvação está no abraço completo do católico. Fé, como Nosso Senhor a ensinou aos Apóstolos e como a Santa Igreja a propôs à fé por 2.000 anos. Todos os erros, todas as tentativas de adaptar a fé à mentalidade desta época, todos os compromissos para conquistar um lugar para a Igreja no mundo,

Se Cristo Rei voltar a reinar na Igreja, antes mesmo de voltar a reinar na sociedade civil, concederá à Igreja bons e santos Pastores, um Pontífice corajoso que denunciará a apostasia, combaterá os erros, se reunirá em torno da Cruz de Cristo o Boa. Porque a Igreja, Corpo Místico de Cristo, está destinada também a sofrer a sua própria Paixão, mas na dignidade e integridade do seu ser, precisamente, Esposa do Cordeiro Imaculado, e não concubina dos eternos vencidos.

É por isso que espero e rezo para que a Providência conceda ao mundo um tempo de paz e conversão, a fim de conduzir novamente os Pastores e o Rebanho à fidelidade ao Evangelho, para que possam enfrentar com dignidade a última perseguição que antecede. o Julgamento Universal. Se este tempo propício fosse inaugurado pela Consagração da Rússia ao Imaculado Coração, acho que poderíamos realmente ler os fatos presentes naquela visão escatológica que encontra cumprimento na vitória de Cristo sobre o Diabo.

Vossa Excelência lançou um apelo público nos últimos dias em que pede a formação de uma “Aliança antiglobalista”. Você acha que a sede dessa aliança deveria ser a Itália, país historicamente odiado pela Maçonaria e pelas potências globalistas?

 A Itália é uma nação abençoada por Deus e pela presença do papado. Sua civilização – representada pelo legado histórico, cultural e artístico de suas cidades, mas também unida pelo vínculo da Fé Católica – sempre foi objeto da ação dissolvente de Satanás e seus servos. A Maçonaria odeia a Itália, odeia sua história gloriosa, que está intrinsecamente ligada ao nascimento do Cristianismo, primeiro, e então sua propagação posterior. A Maçonaria também odeia as tradições deste país, que estão impregnadas pelo Cristianismo, odeia sua arte, profundamente cristã, odeia sua cultura e civilização, que é uma voz eloquente do poder da Fé em influenciar todas as esferas da vida. Odeia seus santos, que por meio de sua pregação e exemplo tiraram do inferno milhões de almas; odeia seu povo,

 É por isso que acredito que a Itália deve ter um papel fundamental na oposição contra a tirania da Nova Ordem, propondo-se como uma sede natural para esta Aliança Mundial Anti-Globalista. E considerando o fato de que o retorno de um Monarca Católico parece muito difícil de imaginar neste momento, eu acho que a forma de governo das Comunas e Estados pré-União [ Nota do editor: a forma de governo das cidades-estado italianas antes de a União da Itália em 1870 ] poderia inspirar grandemente aqueles que desejam uma reforma da sociedade civil italiana alinhada com os princípios cristãos e, ao mesmo tempo, compatível com as necessidades da sociedade moderna. A este respeito, penso em particular em The Allegory of Good Government afresco da Câmara Municipal de Siena [Palazzo Comunale], no qual as Virtudes teológicas iluminam e orientam as Virtudes cardeais e cívicas.

Muitas pessoas estão sofrendo de sérios problemas pessoais devido à discriminação causada pelo “Passe Verde” que foi imposto pelo governo de Draghi. Muitas pessoas estão abrindo mão de seus empregos e salários para evitar a vacinação, e muitas outras estão protestando nas ruas contra essa sociedade autoritária sem precedentes. O que você gostaria de dizer àqueles que estão sofrendo as consequências desta sociedade distópica e àqueles que estão cedendo à perda de esperança, na verdade, ao desespero?

Gostaria de responder com as palavras de Nosso Senhor: “ Eu vos disse estas coisas, para que em mim tenha paz. Neste mundo você terá problemas. Mas tenha coragem! Eu venci o mundo (João, 16, 33).

Àqueles que sofrem sua própria discriminação e a de seus entes queridos; aos que foram obrigados a vacinar-se porque a autoridade civil os chantageava vergonhosamente, com a escandalosa cumplicidade da autoridade eclesial; para aqueles que com coragem se recusam a se render às leis ilegítimas e tirânicas; Aos que são privados dos seus meios de subsistência pela sua coerência, digo o seguinte: vós sois a prova de que a força e a violência do Mal podem afetá-lo possivelmente nos vossos pertences, no vosso corpo e na vossa família; mas eles não podem jamais, jamais, tirar de você a paz de terem permanecido leais ao Senhor.

Você acha que os mártires eram pessoas dotadas de poderes especiais? Os verdadeiros mártires foram, são e serão pessoas como você e eu, pessoas com mil defeitos talvez, mas movidos pelo amor a Cristo, isto é, movidos pela Caridade, que estão dispostos a sacrificar suas vidas para não renunciar. aquele amor sobrenatural e divino. E se puderam, com a ajuda de Deus, enfrentar a morte acompanhada de dores horríveis, pensas que hoje não és capaz, sob o manto da Santíssima Virgem Maria, de se levantar contra estes tiranos, tão cruéis como eles são covardes? Sinta-se honrado pelo privilégio que lhe é concedido de merecer o Céu: a sua fidelidade, a sua força contra as imposições de um poder hostil, vai merecer a ajuda e a proteção do Céu até nas menores coisas.

Permanece na graça de Deus, que é o único bem que ninguém pode tirar de ti: todo o resto estará nas mãos daquela que invocamos como Auxiliadora. E quando a Virgem intervém, o inferno estremece.

publicado
Categorizado como Cristianismo

Por André Bartholomeu Fernandes

Em 2004, André foi responsável por levar internet discada para mais de 4.400 cidades brasileiras. Estudou eletrônica e tecnologia na Unicamp, Harvard e MIT. Trabalha intensivamente em sua nova empresa: Hack além de atender mais de 150 clientes. André criou um blog sobre empreendedorismo, o Jornal do Empreendedor.